A 7G DOCUMENTA se dedica à comunicação por direitos indígenas através do audiovisual. Os filmes e registros documentais abordam a atuação política do movimento indígena nacional e a resistência Kaiowa e Guarani em territórios de retomada no Mato Grosso do Sul. A meta é utilizar a linguagem cinematográfica para mobilizar debates e ações em favor dos direitos originários às terras tradicionais e da representatividade política dos Povos Originários. 

Sua filmografia se inicia com ÍNDIO CIDADÃO? (DF, 2014, 52') - https://vimeo.com/287670696, patrocinado pelo FAC/SeCult/GDF. Com estreia nacional na TV Câmara, em abril de 2014, obteve alcance acumulado superior a 1 milhão de telespectadores nas 25 exibições daquele ano. O filme participou de festivais, foi premiado como o melhor média-metragem no FICA 2015. Foi exibido nas etapas da Conferência Nacional de Política Indigenista em 2015, para promover debates sobre os direitos contitucionais dos Povos Indígenas.  

O curta-metragem ÍNDIOS NO PODER (DF, 2015, 21'), patrocinado pela SAv/MinC, foi lançado no circuito nacional de festivais em 2015. Com ampla circulação, conquistou o prêmio de melhor direção de curta no 26º Festival Cine Ceará 2016 e foi finalista do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2017. Foi exibido na programação do Canal Curta! em 2016 e 2017. O filme está disponível no Porta Curtas (http://portacurtas.org.br/filme/?name=indios_no_poder).

O curta-metragem TEKOHA - som da terra (DF/MS, 2017, 20') foi realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (2014) e fomento da Secretaria de Estado de Cultura - Governo de Brasília. O filme é resultado de processo colaborativo com lideranças femininas Kaiowa em retomada de terra tradicional no Mato Grosso do Sul. Recebeu os prêmios de melhor curta e melhor som na Mostra Brasília do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e de melhor filme do 12º Festival Taguatinga de Cinema.

Sua última produção é Do Protocolo Wajãpi à Consulta Prévia (AP, 2019, 18') - https://vimeo.com/319372433, realizado pela Rede de Cooperação Amazônica e lançado em plataformas digitais no Abril Indígena 2019. O documentário divulga o Protocolo de Consulta e Consentimento Wajãpi e o primeiro processo de consulta prévia no Brasil realizado a partir de um protocolo indígena. O Povo Wajãpi foi pioneiro em definir regras próprias para ser consultado pelo Estado, direito garantido pela Convenção 169 da OIT.